Escolha uma Página
Oi mamães!
 
Vocês sabiam que hoje, 2 de Abril é o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo?
 
Crianças, em geral, dão os primeiros sinais de autismo logo no primeiro ano de vida. Se você notar qualquer sinal do transtorno em seu filho, converse com um médico.
Saiba mais:
O que é autismo?
 
É um transtorno de desenvolvimento que geralmente aparece nos três primeiros anos de vida e compromete as habilidades de comunicação e interação social.
Quantos autistas temos?

A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima 70 milhões de pessoas com autismo no mundo. No Brasil, a estimativa é de 2 milhões de autistas.
Fatores de risco
 
Sexo: meninos são de quatro a cinco vezes mais propensos a desenvolver autismo do que meninas
 
Histórico familiar: famílias que já tenham tido algum integrante com autismo correm riscos maiores de ter outro posteriormente. Da mesma forma, é comum que alguns pais que tenham gerado algum filho autista apresentem problemas de comunicação e de interação social eles mesmos
 
Idade dos pais: quanto mais avançada a idade dos pais, mais chances de a criança desenvolver autismo até os três anos.
As crianças com autismo normalmente têm dificuldade em:
 
·         Brincar de faz de conta
·         Interações sociais
·         Comunicação verbal e não verbal
Uma pessoa com autismo pode:
·         Ter visão, audição, tato, olfato ou paladar excessivamente sensíveis (por exemplo, eles podem se recusar a usar roupas “que dão coceira” e ficam angustiados se são forçados a usálas)
·         Ter uma alteração emocional anormal quando há alguma mudança na rotina
·         Fazer movimentos corporais repetitivos
·         Demonstrar apego anormal aos objetos.
 
Os problemas de comunicação no autismo podem incluir:
 
·         Não poder iniciar ou manter uma conversa social
·         Comunicar-se com gestos em vez de palavras
·         Desenvolver a linguagem lentamente ou não desenvolvê-la
·         Não ajustar a visão para olhar para os objetos que as outras pessoas estão olhando
·         Não se referir a si mesmo de forma correta (por exemplo, dizer “você quer água” quando a criança quer dizer “eu quero água”)
·         Não apontar para chamar a atenção das pessoas para objetos (acontece nos primeiros 14 meses de vida)
·         Repetir palavras ou trechos memorizados, como comerciais
·         Usar rimas sem sentido
Sintomas que podem afetar uma pessoa com autismo:
 
·         Interação social
·         Não faz amigos
·         Não participa de jogos interativos
·         É retraído
·         Pode não responder a contato visual e sorrisos ou evitar o contato visual
·         Pode tratar as pessoas como se fossem objetos
·         Prefere ficar sozinho, em vez de acompanhado
·         Mostra falta de empatia
·         Resposta a informações sensoriais
·         Não se assusta com sons altos
·         Tem a visão, audição, tato, olfato ou paladar ampliados ou diminuídos
·         Pode achar ruídos normais dolorosos e cobrir os ouvidos com as mãos
·         Pode evitar contato físico por ser muito estimulante ou opressivo
·         Esfrega as superfícies, põe a boca nos objetos ou os lambe
·         Parece ter um aumento ou diminuição na resposta à dor
Brincadeiras
 
·         Não imita as ações dos outros
·         Prefere brincadeiras solitárias ou ritualistas
·         Não faz brincadeiras de faz de conta ou imaginação
Comportamentos
 
·         Acessos de raiva intensos
·         Fica preso em um único assunto ou tarefa (perseverança)
·         Baixa capacidade de atenção
·         Poucos interesses
·         É hiperativo ou muito passivo
·         Comportamento agressivo com outras pessoas ou consigo
·         Necessidade intensa de repetição
·         Faz movimentos corporais repetitivos
Recomendações
 
* Ter em casa uma pessoa com formas graves de autismo pode representar um fator de desequilíbrio para toda a família. Por isso, todos os envolvidos precisam de atendimento e orientação especializados;
* É fundamental descobrir um meio ou técnica, não importam quais, que possibilitem estabelecer algum tipo de comunicação com o autista;
* Autistas têm dificuldade de lidar com mudanças, por menores que sejam; por isso é importante manter o seu mundo organizado e dentro da rotina;
* Apesar de a tendência atual ser a inclusão de alunos com deficiência em escolas regulares, as limitações que o distúrbio provoca devem ser respeitadas. Há casos em que o melhor é procurar uma instituição que ofereça atendimento mais individualizado;
* Autistas de bom rendimento podem apresentar desempenho em determinadas áreas do conhecimento com características de genialidade.
 

 

Pin It on Pinterest

Share This